Black FridrayPrimeiras edições do Black Friday foram marcadas por problemas que levaram os consumidores a rejeitarem as promoções

No dia 28 de novembro o e-­commerce brasileiro e algumas lojas físicas irão participar do Black Friday, um evento de grandes descontos para escoar os produtos em estoque e abrir espaço para os itens do Natal.
A data começou a ser “comemorada” no Brasil em 2010; no entanto, as primeiras edições foram marcadas por problemas que levaram os consumidores a rejeitarem as promoções e até chamarem o evento de “Black Fraude”. Um levantamento exclusivo realizado pelo Google Brasil mostra que o varejo se preparou esse ano para salvar a imagem do evento e poder faturar mais. Confira o que vai mudar:

1­ Haverá mais ofertas do que fraudes
No começo do mês, as principais empresas de varejo assinaram a criação do Black Friday Legal, um documento para mostrar que a maior parte das empresas está fazendo o certo. Com um faturamento quatro vezes maior do que em 2011, a percepção de “Black Fraude” não faz mais sentido. Além disso, em 2013, 75% dos consumidores apontaram experiências boas ou ótimas. Este ano, basta o consumidor procurar as lojas com o selo do Black Friday Legal para garantir uma compra segura.

2­ As promoções serão maiores e mais agressivas
Em 2014, as vendas do varejo ficaram abaixo das expectativas, principalmente em função de eventos como a Copa do Mundo e as eleições. “O varejo está mais ávido para vender e surpreender o consumidor com grandes ofertas”, diz Lidiane Tahan, gerente de vendas para varejo do Google Brasil.

3­ Mais pessoas vão comprar através de seus smartphones
Lidiane explica que no final de 2013, cerca 5% das vendas online já eram feitas pelo smartphone. “Na Black Friday deste ano, esse número pode passar tranquilamente a marca de 10%. Diversas categorias de varejo possuem grande representatividade de buscas vindas de celular”.

4­ As entregas serão mais eficientes
Com a experiência acumulada por grande parte dos varejistas nas Black Fridays anteriores, a preparação das empresas para ter um estoque mais adequado para a data e um serviço de entrega mais ágil é uma tendência esperada. “Somado a isso, o sucesso de datas sazonais criadas pelos próprios varejistas, tais como a Blackout, do Walmart, e a Blacknight, das marcas do grupo B2W, como Americanas e Shoptime, vemos os varejistas mais preparados para o aumento de tráfego nos websites e também na organização logística das entregas”, aponta a executiva.

5­ O período de descontos não vai se resumir à sexta­feira
As vendas da Black Friday estão cada vez menos concentradas em um único dia. Muitos varejistas já começaram sua temporada de ofertas no início de novembro, enquanto outros devem estendê­-la pelo menos pelo final de semana seguinte. Este ano, a e­commerce de artigos esportivos Netshoes, por exemplo, criou o Black November, evento que oferece descontos de até 50% durante todo o mês em milhares de produtos. Há ainda empresas que devem estender as promoções da Black Friday até o Natal.

6­ A data já foi adotada pelos brasileiros
A quarta edição da Black Friday é aguardada com ansiedade pelos consumidores. Uma pesquisa com 20 mil consumidores realizada pelo site Busca Descontos apontou que 96% deles pretendem realizar alguma compra no evento neste ano.

7­ O número de empresas participando é recorde
Este ano, o número de lojistas que terão promoções acontecendo tanto no website quanto na loja física é recorde, o que vai oferecer ainda mais alternativas aos consumidores. Além disso, a Black Friday já não está restrita aos grandes varejistas. A mineira Eletrosom, por exemplo, empresa de eletroeletrônicos e artigos domésticos de Uberlândia, teve o maior volume de vendas da história do site, que existe desde 2010, na edição do ano passado do evento. Na ocasião, colocaram 100 produtos com descontos de 40 a 70% e atingiram uma venda 200% maior do que a de um dia regular. Para 2014, a empresa se estruturou ainda mais, com estoque melhor dimensionado e a contratação de um serviço de web extra especialmente para a data, prometendo ter descontos de 40 a 80% em 250 produtos e com isso pretende ter uma venda 100% superior que a do ano passado.

Fonte: Infomoney